O SURGIMENTO DA PSICANÁLISE







Por: Edson Carlos de Sena

A Psicanálise surge mediante ao olhar atento, curioso e desbravador de uma pessoa que não mediu esforços para descodificar enigmas da mente humana. Diante do cenário desafiador de doenças e de mal-estares, pouco explicáveis, Freud aparece como alguém com coragem suficiente para desafiar seus conceitos sobre si e sobre o ser humano de um modo geral.

A Psicanálise não nasce de um dia para o outro, mas foi desenvolvida de modo cauteloso, sendo fruto da observação e da experimentação. Freud para formular suas ideias tomou a firme decisão de ser radical em seus objetivos e utilizou métodos de modos sistemáticos.

A Psicanálise foi construída de modo cuidadoso, mesmo porque ela se afirmou e se constitui mediante a um novo significado dado a algo que até então não era entendido de maneira profunda, na perspectiva de parte importante e que influencia, de modo impactante, na vida do ser humano: o inconsciente.

Freud, em um insight, muda a conceituação simplicista de inconsciente e eleva sua importância na compreensão dos mecanismos e dos sistemas da mente humana. Ao relacionar as neuroses à realidade da sexualidade, dando ênfase a importância que esta tinha no desenvolvimento humano, em que na infância, o homem e a mulher poderiam mediante suas experiências de caráter sexual nos relacionamentos com os seus referenciais ( figuras de pai e da mãe), definir a personalidade e o bem-estar ou mal-estar com ele ou ela mesma.

Freud sofreu críticas severas com a exposição de suas ideias e teorias, o que não era de si estranhar diante o contexto histórico daquela época. Freud sofre perseguições ferrenhas devido a sua audácia, no bom sentido, de questionar e sugerir modos de lidar com os tabus daquela época.

Perseguições não vinham somente dos que estavam distantes dele, mas também entre aqueles que eram até considerados seus amigos e discípulos houve discórdias e críticas severas ao seu modo de pensar e tratar pacientes. Claro que nem tudo que ele escreveu foi para ele a verdade perene, mas para ser fiel ao seu objetivo manteve-se firme naquilo que para Freud era inquestionável.

Freud apresenta a Psicanálise como ciência e a explica de modo claro e objetivo em suas obras literárias. Seu legado para o conhecimento da mente humana é inquestionável. A história pessoal de Freud e seu olhar investigador para essa (para a história pessoal de Freud) pôde colaborar, de modo relevante, para o surgimento de sua teoria e método revolucionário de compreender e de tratar os traumas e as perturbações na mente humana.

O método da Associação Livre, com certeza, foi um dos grandes insights de Freud, uma maneira nova de tratar pessoas perturbadas em seu interior e que sofriam desconfortos em suas vidas. Depois que descobriu que a hipnose não produzia o efeito preciso e satisfatório, Freud empreendeu um novo passo que deu novo rumo à Psicanálise, que foi a utilização do método da Associação Livre, como também uso das interpretações de sonhos, atos falhos etc.

O contexto de desenvolvimento da Psicanálise, no seu início, foi desafiador e recheado de turbulência, fatos como: a Guerra Mundial, a enfermidade de Freud e a perca de familiares dele, também se apresentam como empecilho, mas não foram suficientes para fazer com que Freud e o movimento Psicanalítico sucumbissem.

Após a morte de Freud, a Psicanálise não morre, mas toma novo vigor e muitos foram e são os colaboradores dessa ciência, ou, se preferir, método de ajudar as pessoas a alcançarem novo patamar vida, ou seja, melhor qualidade de vida.

Comentários